fbpx

Do Estadão: Lula exige novo avião com cama de casal que pode custar US$ 80 milhões, segundo estudos da FAB

Estado de São Paulo – O Ministério da Defesa entregou ao Palácio do Planalto o estudo feito pela Força Aérea Brasileira (FAB) para atender ao pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para substituir o Airbus A319-ACJ, o “Aerolula”, por outra aeronave mais confortável. A opção mais barata pode custar de US$ 70 milhões a US$ 80 milhões, o equivalente a quase R$ 400 milhões, segundo informações aos quais o Estadão teve acesso.

A Presidência informa que, até o momento, não há uma decisão tomada. A oposição vê na exigência de Lula e da primeira-dama Janja desperdício de dinheiro público. O casal quer que a nova aeronave tenha cama de casal e banheiro com chuveiro. E, ainda, um gabinete de trabalho privativo, uma sala de reuniões e cerca de uma centena de poltronas semi-leito.

Para atender ao casal presidencial, a FAB encontrou um Airbus A330-200 usado registrado em nome de uma empresa de leasing com sede na Suíça. Por razões de confidencialidade, o antigo dono não é revelado, mas os especialistas da área dizem acreditar que seria um dirigente árabe. Normalmente, afirmam especialistas consultados pelo Estadão, esse tipo de avião é usado por príncipes e xeques árabes, que se desfazem deles com pouco tempo de uso.

A informação sobre a preferência pelo modelo usado foi revelada pelo site Metrópoles e confirmada pelo Estadão.

Inicialmente, o plano era a reforma de um dos dois A330-200 da FAB, mas a conversão seria mais cara do que a compra de um avião usado, ainda que com poucas horas de voo.

As principais dificuldades para a conversão dos atuais A330, conforme revelou o repórter Roberto Godoy para a Coluna do Estadão, seriam o fato de a Aeronáutica precisar deles para o reabastecimento em voo de seus caças, bem como para o deslocamento rápido de pessoal e para socorro médico.

Mas foram os custos altos para transformar o Airbus para um arranjo presidencial que acabou por fazer a hipótese da compra se mostrar a mais razoável. Lula tem se queixado do desconforto nas viagens internacionais desde que iniciou seu terceiro mandato.

Oposição abre fogo contra Lula em razão do novo avião

Lula já demonstrou interesse em substituir o atual avião presidencial, usado para viagens internacionais, mas Palácio do Planalto afirma que ainda não bateu o martelo sobre a compra

A oposição tem considerado irresponsabilidade a aquisição de uma nova aeronave para o presidente no momento em que o País enfrenta uma crise financeira. “Considerando as dificuldades porque passam nosso país, a aquisição de uma nova aeronave presidencial é pura irresponsabilidade, um verdadeiro absurdo que não pode prosperar”, afirmou ao Estadão o deputado federal Ubiratan Sanderson (PL-RS), presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara.

No dia 4, foi a vez do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) postar em uma rede social a seguinte mensagem: “Aerolula de centena$ de milhoe$ de reai$ pro pai dos pobres”. Procurado pelo Estadão, o senador reiterou as críticas: “No governo Lula o mau exemplo vem de cima. Ele ignora a dor e o sofrimento dos gaúchos, assolados pela passagem de um ciclone, e viaja para o exterior para passear com sua esposa dançarina, sem trazer nenhum real de investimento para o Brasil. Com Lula o dinheiro público nunca vai pro lugar certo e os problemas reais do Brasil só se agravam.”

O atual avião usado por Lula é um A-319, que conta em sua configuração comercial com 12 assentos semileitos e 114 da classe econômica. O Airbus é dividido em três sessões. A principal, na parte frontal do avião tem dez poltronas e leva as principais autoridades. Há ainda uma área reservada ao presidente, com suíte privativa.

No meio da aeronave há uma sala de reunião, com poltronas mais largas e confortáveis, revestida em couro claro, ao redor de uma mesa de trabalho. Na parte traseira, viajam os assessores e demais convidados em cerca de 40 assentos semelhantes aos de aviões comerciais.

Aerolula foi comprado no primeiro governo Lula

O Aerolula foi comprado em 2004 por US$ 56,7 milhões (cerca de US$ 91,7 milhões, em valores atualizados). O A-319 presidencial pertence ao Grupo de Transporte Especial (GTE), com sede em Brasília, e é usado para as viagens de longa distância. O Grupo também conta com dois EMB-190, para as rotas regionais, e ainda jatos menores E-135 e E-145, todos fabricados pela Embraer.

Já o novo modelo A330 é semelhante aos dois A330-200 comprados pela FAB em abril de 2022 pelo governo de Jair Bolsonaro. A Aeronáutica decidiu obter as aeronaves, que pertenciam à empresa Azul, após a crise de falta de oxigênio em Manaus, em 2021, durante a pandemia de covid-19, demonstrar a necessidade de a Força ter aviões maiores para executar esse tipo de missão. Os dois Airbus foram convertidos em aeronaves de uso múltiplo: transporte e reabastecimento em voo.

Cada um deles custou cerca de US$ 80 milhões, valor semelhante ao que agora o governo terá de desembolsar nessa nova compra afim de garantir o conforto desejado por Lula em suas viagens internacionais. O A-330 tem autonomia de 13,5 mil quilômetros de voo, quase o dobro do atual Aerolula. Caso seja comprado a aeronave da empresa suíça, o novo Airbus deve ter número de série próximo do das duas aeronaves já adquiridas pela FAB, o que facilitaria a sua manutenção.

Via Jhon Cutrim

Deixe um comentário

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook