fbpx

Jovem que realizava ‘grau’ morre baleado por policial militar no interior do Maranhão e moradores ficam revoltados

Jovem morreu baleado por PM.

Marcos Vinicius, de 20 anos, foi morto por uma policial militar, que atirou no jovem durante uma abordagem em uma ocorrência de perturbação do sossego. O caso ocorreu na tarde deste domingo (25), no município Governador Edison Lobão, no Maranhão. Pessoas que estavam no local disseram que a agente de segurança teria invadido a casa da vítima.

A morte do jovem revoltou a população. Horas após a ocorrência, amigos e familiares foram protestar em frente ao batalhão da PM. “Um cara que tinha uma vida inteira pela frente morreu por incompetência e despreparo de outra pessoa que é uma agente pública de segurança”, afirmou Jonas Neves, morador da região.
O rapaz havia desobedecido uma ordem de parada dos agentes que passavam pelo local. Durante a perseguição, Marcos teria sido atingindo por um disparo de arma de fogo. Mesmo baleado, o rapaz conseguiu chegar em casa. No entanto, a policial identificada como Sabrina Silva teria invadido o local e atirado nele, atingindo-o no pescoço. O jovem morreu nos braços da própria mãe que ainda teria implorado para que filho não fosse morto.
Ainda segundo testemunhas, a polícia chegou a alegar que o jovem estaria armado e teria apontado uma arma para a guarnição. O Coronel Magalhães, comandante do policiamento do interior,  informou que as medidas cabíveis estão sendo tomadas e o caso segue sendo apurado. Nossa reportagem solicitou nota a Secretaria de Estado da Segurança Pública do Maranhão para saber que outras medidas estão sendo tomadas para apuração do caso, mas ainda não obteve retorno.
Reações ao caso
O prefeito de Governador Edison lobão, Geraldo Braga, se manifestou nas redes sociais. Ele emitiu uma nota de repúdio a ação da Polícia Militar, onde condenou a violência excessiva por parte das forças de segurança e se solidarizou com a família do jovem Marcus Vinicius.
Ao tomar conhecimento do ocorrido, o Ministério Público do Maranhão (MP-MA) solicitou informações sobre as providências adotadas pela Polícia Civil para apuração dos fatos noticiados e suas circunstâncias, especialmente o depoimento dos policiais envolvidos, familiares da vítima e testemunhas oculares. O pedido do MP determina que as informações, junto com o boletim de ocorrência e documentos relacionados ao caso (depoimento, laudos e requisição) sejam enviadas ao órgão em até 24h.
Do Portal Difusora ON.

Deixe um comentário

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook