fbpx

Maranhense que morreu no DF mandou áudio para família pouco antes da tragédia com ônibus

Três maranhenses morreram no acidente com ônibus que tombou na BR-070, em Ceilândia (DF), no sábado (21).

 

A maranhense, de Caxias, Maria de Deus Fernandes Crateus, de 64 anos, vítima da tragédia com ônibus na BR-070, em Ceilândia (DF), chegou a enviar uma mensagem para a família pouco antes de sua morte. O corpo dela foi sepultado nessa segunda-feira (23) em Brasília.

Ela morava no Maranhão e ia até Brasília visitar a família. “A polícia parou o ônibus e pediu o documento de todo mundo, mas a gente já está saindo daqui. Já estamos chegando aí. A polícia está escoltando o ônibus até a rodoviária. Mas está tudo certo, graças a Deus, a viagem está sendo ótima. Isso aí é com o ônibus mesmo, com as coisas irregulares que eles têm, mas está tudo tranquilo aqui. Até daqui a pouco”, disse a aposentada na mensagem por celular.

Maria de Deus Fernandes

O genro dela disse, ao g1 Distrito Federal, que seria o responsável por buscá-la na rodoviária. Todos os anos, Maria de Deus viajava para Brasília para visitar as filhas.

Outra passageira maranhense que morreu no acidente foi Maria Eliete Gomes da Silva, de 57 anos, de Barra do Corda. Os parentes dela pedem justiça. “Ela não merecia morrer do jeito que morreu. Quero justiça”, disse, ao g1 Maranhão, Simar Coelho, marido da vítima.

Além das duas senhoras, um homem identificado como João Freire de Sousa, de 57 anos, de Coroatá, também é outro maranhense entre os que vieram a óbito neste acidente registrado no sábado (21).

Outras duas pessoas mortas neste acidente são Francisco Ferreira da Silva e Claudia Maria Moreira Marques de Sousa, ambos do Estado do Piauí. Os advogados da empresa de ônibus não vão se pronunciar.

Maria Eliete Gomes da Silva foi uma das vítimas
que morreram após ônibus tombar no DF

Em nota, a ANTT afirma que o acidente aconteceu quando o motorista do ônibus tentou fugir de uma fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Além de não ter autorização para transportar passageiros, o veículo estava sem seguro e com pneus carecas.

Durante o percurso, o ônibus passou por três postos da PRF no Maranhão – em Caxias, Barra do Corda e Porto Franco. Somente no Distrito Federal o veículo foi parado para averiguação.

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT) decidiu manter a prisão do motorista e do dono da empresa responsável pelo ônibus. Alexandre Henriques Camelo, de 56 anos, e o motorista, Felipe Alexandre Gonçalves Henriques, de 32 anos, são pai e filho, e foram presos em flagrante no sábado.

Primeiro, a defesa dos investigados informou que não iria se manifestar, mas, no início da noite dessa segunda, negou que o motorista tenha fugido da escolta e afirmou que suspendeu temporariamente todas atividades, enquanto aguarda decisões da Justiça.

Via Gilberto Lima

Deixe um comentário

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook