fbpx

Marcado o julgamento de Júnior de Nenzin, acusado de matar o próprio pai, ex-prefeito de Barra do Corda

Júnior do Nenzin será julgado em São Luís e pode pegar pena máxima

O juiz Pedro Guimarães Júnior, respondendo pela 2ª Vara do Tribunal do Júri, designou a data de 9 de outubro próximo, para o julgamento de Manoel Mariano de Sousa Filho, conhecido como Júnior do Nenzin, acusado de assassinar o próprio pai Manoel Mariano Sousa, o Nenzin, ex-prefeito e pai do atual prefeito do município de Barra do Corda, Rigo Teles.

Ex-prefeito Nenzin com o filho Júnior do Nenzin

O julgamento será realizado no fórum desembargador Sarney Costa, em São Luís. O desaforamento, segundo apurou o portal O INFORMANTE, foi decidido pelo Tribunal de Justiça do estado para evitar influências no corpo de jurados que, eventualmente, possam interferir na decisão.

Em um dos crimes de maior repercussão no Maranhão, o ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Souza, o Nenzim, foi assassinado no dia 6 de dezembro de 2017.

O assassinato de Nezin, morto com um tiro na nuca, teve 21 dias de investigação, sendo 20 pessoas ouvidas, e, ao final, o laudo pericial do Instituto de Criminalística concluiu que Júnior do Nezin era o principal suspeito.

Imagens de câmeras de segurança de um condomínio mostraram a caminhonete do crime no dia do assassinato. De acordo com a polícia, o veículo passou 40 minutos no local e só depois desse tempo é que a vítima foi levada para o hospital, onde já chegou sem vida.

Depois de deixar o pai no hospital, Júnior do Nezin teria retornado à sua residência para tomar banho e encaminhar a caminhonete para um lava jato. Com esse comportamento, o filho de Nenzin passasse a ser o maior suspeito, o que acabou confirmado com as investigações.

Avaliando as circunstâncias do crime, laudos periciais da Polícia Técnica e depoimentos de mais de 20 pessoas, a polícia concluiu que o principal suspeito era o filho do ex-prefeito, que estava com ele na hora do crime.

O inquérito policial foi concluído e encaminhado ao Ministério Público de Barra do Corda.

Via O Informante

Deixe um comentário

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook