fbpx

Nove policiais são autuados em flagrante e presos após “ação miliciana” com morte em Barra do Corda; PMs foram contratos por fazendeiro

Nove policiais foram autuados em flagrante e presos depois de uma tentativa de despejo, na tarde dessa sexta-feira, 10, em Barra do Corda, quando foram emboscados. Uma caminhonete foi incendiada e um sargento morreu no local. Eles estavam à paisana, armados, e foram contratados por um fazendeiro, numa ação típica de milícia.

Seis dos presos estão recolhidos no quartel de Barra do Corda. Dois outros, baleados, estão hospitalizados na cidade, mas presos. O nono, por ser agente auxiliar penal, está no presídio do município. Todos serão transferidos para São Luís.

Neste sábado (11), a Secretaria da Segurança Pública (SSP) emitiu nota sobre os incidentes, que aconteceram zona rural do município, em que policiais militares foram emboscados por posseiros. O sargento Almir foi morto a tiros e ficou com o corpo carbonizado.

Leia a íntegra da nota:

“A Secretaria de Segurança Pública determinou às Policiais Civil e Militar imediata apuração do ocorrido, bem como as providências necessárias.

Nove policiais foram autuados em flagrante delito pelo crime de formação de milícias, sendo oito policiais militares e um auxiliar de segurança (servidor temporário). Desses, seis encontram-se recolhidos ao quartel de Barra do Corda e serão transferidos posteriormente para o quartel do Comando Geral em São Luís.

Em razão das lesões sofridas, dois policiais militares foram levados para hospital e tão logo tenham alta médica também serão recolhidos ao quartel. O agente penal auxliar penal foi levado para o presídio da região. Ainda como resultado da ação, um policial foi morto.

Para agilizar as investigações, ainda na noite de sexta foram enviados reforços às polícias Civil e Militar para a região onde os fatos aconteceram. Uma equipe do Instituto de Criminalística (Icrim) também foi encaminhada ao local para a realização de perícia.

Por fim, a Secretaria de Segurança Pública destaca que não compactua com desvio de conduta dos agentes das forças e segurança e que vai atuar com rigor na apuração dos fatos, tanto no inquérito policial como por meio de procedimento administrativo instaurado pelo comando da Polícia Militar”.

Com informações de O Informante

Deixe um comentário

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook