fbpx

Pastor estuprava sobrinha de 10 anos levando-a ao “monte” para fazer sexo oral nele, em Mato Grosso; abusos aconteciam há cinco anos

Um pastor, de iniciais W.S.O, de 36 anos, foi preso acusado de abusar sexualmente da sobrinha, que hoje é uma adolescente de 15 anos. A vítima contou à polícia que os abusos começaram quando ela tinha apenas 10 anos, sendo forçada a praticar sexo oral nele. Os crimes foram cometidos em São Gabriel do Oeste, Mato Grosso do Sul.

A garota disse que os frequentes abusos aconteciam principalmente num local isolado, chamado de “monte”. O acusado levava a menina ao local sob o pretexto de orarem juntos, porém utilizava o isolamento para praticar os atos de abuso.

De acordo com a Polícia Civil, a vítima relatou que a primeira conjunção carnal ocorreu quando ela tinha 12 anos. Ela e o acusado residiam na mesma casa, situação que ele se aproveitava para abusar da adolescente sempre que estavam a sós.

Não o bastante, além dos abusos sexuais, a jovem também relatou à polícia que era constantemente ameaçada pelo tio, que usava o terror psicológico para mantê-la em silêncio, aterrorizando-a com possíveis consequências se ela revelasse os abusos a alguém.

O homem foi preso no âmbito da operação “Falso Profeta”. No momento, ele permanece detido preventivamente, à disposição da justiça. A Polícia Civil informou que o material biológico foi coletado e que aguarda os exames que podem comprovar a materialidade do crime.

Caso semelhante em Goiânia

No fim do mês de junho deste ano, após ser denunciado, um pastor foi preso por estuprar uma sobrinha e outras quatro crianças em Iporá, no oeste goiano.

De acordo com a Polícia Civil, os crimes ocorriam nas casas das vítimas e também na Kombi do homem. O investigado não teve o nome divulgado.

Segundo o delegado que apura o caso, Bruno Ferreira, os abusos aconteceram diversas vezes. De acordo com a sobrinha do pastor, ela foi abusada por ele entre 13 e 17 anos.

O pastor acabou detido na última sexta-feira, 23 de junho, na casa dele. O homem foi interrogado pela polícia, mas preferiu ficar em silêncio. Ele responde pelo crime de estupro de vulnerável, ocorrido em 2020.

Via Gilberto Lima

Deixe um comentário

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook