fbpx

Quatro pessoas são presas por envolvimento em roubo e receptação de carga de alimentos em São José de Ribamar

A Polícia Civil deflagrou, nessa terça-feira (6), no Residencial Nova Terra, em São José de Ribamar, uma operação de combate ao crime de roubo e receptação de cargas de produtos alimentícios, resultando na prisão em flagrante de quatro pessoas envolvidas na ação criminosa.

A carga, que está avaliada em aproximadamente R$ 60 mil reais, foi roubada na sexta-feira (2) em uma distribuidora de alimentos, situada no bairro São Cristóvão, em São Luís.

Após uma detalhada investigação comandada pelo Departamento de Combate ao Roubo de Cargas (DCRC/SEIC), os policiais civis conseguiram prender um homem, de 39 anos, o qual tinha no depósito do seu estabelecimento comercial, uma grande quantidade de produtos alimentícios (leite em pó, óleo de soja, arroz, feijão, açúcar) roubados da distribuidora.

O segundo alvo da operação foi um homem, de 45 anos, que teria transportado e comercializado o produto roubado com o comerciante. De acordo com as investigações, o preso seria um dos vigilantes da empresa, que teria repassado informações privilegiadas aos executores do crime.

As demais prisões foram de duas mulheres: a companheira do comerciante, de 25, que guardava na residência grande quantidade da carga roubada; e a cunhada do comerciante, de 23 anos, que também armazenava em sua residência parte da carga roubada.

Durante a operação policial, além da captura das quatro pessoas e recuperação de uma grande quantidade da carga roubada, a qual foi devolvida para vítima, foram arrecadados e apreendidos material eletrônico, os quais contribuirão com o avanço das investigações, para completa elucidação do crime.

Após a finalização do trabalho de campo, os presos foram conduzidos à Superintendência de Investigações Criminais (SEIC), onde foram autuados em flagrante pelos crimes de receptação qualificada, receptação dolosa e associação criminosa.

Após os procedimentos legais, os presos foram encaminhados para o Sistema Penitenciário, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

Via Gilberto Lima

Deixe um comentário

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook