fbpx

Arame: Vereadora que disseminou fakenews é filha de ex-secretária condenada pelo TCU

A Prefeitura do Município de Arame emitiu nota, reestabelecendo a verdade sobre fakenews espalhadas nas últimas 24hs, referente à informações sobre recursos federais e a qualidade da merenda escolar oferecida na rede municipal de ensino.

De maneira responsável e transparente, a Secretaria de Educação disponibilizou dados oficiais sobre os recursos recebidos, e informou que a aquisição de alimentos é feita conforme planejamento, priorizando a aquisição de produtos oriundos da Agricultura Familiar, tudo conforme orientação nutricional que garanta mais segurança alimentar aos alunos.

Diferentemente do que consta nas fakenews amplamente disseminadas pela vereadora Katiusse Bonfim, dando conta de que o munícipio teria recebido só este ano R$ 24 milhões, a verdade é que os repasses para a merenda escolar é tabelado por número de alunos, chegando, por exemplo, a apenas R$ 0,32 por aluno matriculados na educação de jovens e adultos e o valor recebido é de pouco mais de R$ 100 mil reais nos quatro meses deste ano.

O blog fez uma pesquisa e descobriu que a vereadora responsável por disseminar as fakenews é adversária política do prefeito Pedro Fernandes (PTB), e tem no seu passado, uma relação familiar com o descaso e abandono na Educação de Arame.

De acordo com dados oficiais do Tribunal de Contas da União, (Confira aqui), Noélia Araújo Costa Bonfim, mãe da vereadora, é ex-secretária de Educação, e consta em seu histórico, ações e atitudes nada republicanas com recursos que deveriam ser aplicados na Educação.

Noeli Bonfim, mãe da vereadora Katiusse Bonfim, é parte na Tomada de Contas Especiais que apontou diversas irregularidades na construção das escolas na Chapada do Garoto, Divida e Chupé;

A investigação realizada pelo TCU também revelou que foram utilizadas notas fiscais inidôneas no valor de R$ 704 mil reais durante a gestão da mãe da vereadora.

Outra informação que pesa contra a genitora da vereadora é da utilização de notas fiscais do Auto Posto Cocão, que segundo controle interno, teria fornecido combustível para rodar o equivalente a 600 ml quilômetros por ano, uma verdadeira aberração.

Com todo esse passado da ex-secretária, a vereadora Katiusse está usando a régua da mãe, para medir a educação atual, referência na região.

Ficou feio.

Via Maramais

Deixe um comentário

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook