fbpx

Casal encontrado morto e amarrado no Batatã, em São Luís, é identificado pela Polícia Civil; há suspeitas de acerto de contas

Os corpos de um homem e uma mulher, encontrados no último sábado (11) na Reserva do Batatã, no Parque Estadual do Bacanga, foram identificados pela Polícia Civil. Trata-se de Ketlyn Aline Lenz Zang, de 28 anos, conhecida como ‘Loira’, e Erisaldo Dourado de Abreu, de 39 anos, conhecido como ‘Boinha”, moradores da Vila Riod, em São Luís.

Os dois foram encontrados amarrados e com marcas de tiro. Segundo a Polícia, até o momento, as investigações apontam para hipótese de que o crime tenha sido um latrocínio. Não está descartada a possibilidade de ter sido um acerto de contas ou crime por encomenda (pistolagem).

Suspeita-se que o casal tenha sido executado a tiros em uma outra área, com os corpos sendo desovados na área da reserva do Batatã.

Pelos levantamentos feitos pelo blog, Katlyn e Erisaldo eram parceiros de crimes, principalmente na região sul do Maranhão.

Em março de 2019, Ketlyn Aline Lenz Zang foi presa com um HB20 roubado, em Balsas, no sul do Maranhão. Ela foi autuada em flagrante por receptação.

Ketlyn foi presa e autuada em flagrante
por recepção em 2019, em Balsas

Ketlyn estava em companhia de Clarice e Lourenço, que no momento da abordagem ficou apagando mensagens do celular. Na ocasião, a PM realizou a consulta da placa do veículo e constatou que o mesmo era roubado e que nenhum dos ocupantes soube informar a procedência do veículo.

No momento da prisão, a polícia informou que Ketlyn já tinha passagens por tráfico no Estado do Piauí, quando levava drogas de Balsas para Uruçuí-PI.

Em 2021, a Polícia Civil cumpriu mandados de prisão contra pessoas suspeitas de envolvimento com o roubo a uma casa lotérica, ocorrido no dia 07 de junho, em Balsas, de onde foram levados mais de 300 mil reais em dinheiro por dois indivíduos que entraram no estabelecimento usando cópia da chave da porta blindada.

O crime foi planejado pelos faccionados Fernando Cardoso Amaral, que estava preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, e por Erisaldo Dourado de Abreu, vulgo ‘Boinha’, preso na Unidade Prisional de Ressocialização de Balsas. Foram eles os responsáveis por cooptar as duas funcionárias da lotérica que ajudaram na prática do crime.

A execução do plano coube a Antônio Vinícius França Dos Santos e Lucídio De Sousa Vieira, que eram foragidos, o primeiro por roubo e o segundo por tráfico e homicídio. Eles contaram com a ajuda de Mariele de Sousa Castro e Ketlyn Aline Lenz Zang, vulgo ‘Loira’, respectivamente, companheira e ex-companheira de ‘Boinha’, na execução do plano, para se esconderem após o crime e para conseguirem sair da cidade com o dinheiro.

Homicídios em 2024

Ao todo, 84 pessoas foram assassinadas na Grande São Luís em 2024 – os dados estão disponíveis no site da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão. Dentre os crimes estão homicídios e latrocínios.

Segundo os dados da SSP-MA, seis pessoas foram assassinadas apenas no mês de maio. Em todo o Maranhão, a quantidade de assassinatos supera a marca de 412 casos registrados em 2024.

Via Gilberto Lima

Deixe um comentário

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook